Porque sou candidato?

Sou candidato à Presidência da Câmara do Porto porque há demasiado tempo que somos governados por gente que não sabe o que é a nossa cidade, nem nos respeita e, em vez de servir os portuenses, serviu-se de nós para agendas e interesses pessoais ou partidários.

Sou candidato à Presidência da Câmara do Porto porque a solução não está nos do costume, que viraram as costas ao portuense comum, nem em extremismos que nos querem dividir. A solução está em gestão séria, altruísta e que ama o Porto, como uma casa que será sempre dos portuenses, do espírito orgulhoso que vive em todas as ruas e ruelas da nossa cidade invicta.

Grandes homens criaram um Porto sustentado sobre valores que é preciso fazer ressurgir com coragem, força e resiliência. Por isso mesmo, temos um programa ambicioso que aproxima os cidadãos da governação, onde nem um portuense será esquecido. O PPM defende o ambiente e o património há 47 anos, pelo que juntaremos também eixos que a população vem clamando a ouvidos moucos: habitação, ação social, trânsito, cultura e comércio local.

Juntos conseguiremos!

Diogo Araújo Dantas

Diogo Araújo Dantas – Candidato do PPM à Câmara Municipal do Porto

O economista Diogo Araújo Dantas vai ser o candidato do PPM à presidência da Câmara Municipal do Porto.
Diogo Araújo Dantas, 46 anos e natural do Porto, vai liderar uma candidatura que tem o propósito de devolver à Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta Cidade do Porto o papel nacional e prestígio internacional que a cidade há muito merece e que, infelizmente, tem estado relegado ao de um pequeno burgo sem expressão.
O PPM não esquece que foi no Porto que nasceu o nome Portugal.
Foi do Porto que partiram os Cruzados que ajudaram o Rei D. Afonso Henriques a conquistar Lisboa aos Mouros.
Foi no Porto que teve início a Aliança Diplomática mais antiga do mundo, com o casamento do Rei D. João I e Filipa de Lencastre.
Foi no Porto que nasceu o Infante D. Henrique e daqui partiram os primeiros barcos que conquistaram Ceuta e abriram caminhos Marítimos a Portugal e à Globalização.
Foi no Porto que o rei D. Pedro IV resistiu a um cerco que durou um ano e é ainda o local onde, hoje, descansa o seu coração, sendo este um tesouro único em Portugal e no Mundo.
Se foi no Porto que, a 31 de Janeiro de 1891, houve a primeira revolta contra a Monarquia, foi também aqui que existiu a primeira revolta contra a República, em 1919, com a Monarquia do Norte.
E foi também aqui que, em 1927, houve a primeira revolta contra a ditadura militar saída do 28 de Maio de 1926.
Foi também no Porto, em 1958, que o general Humberto Delgado sentiu o que é um povo “Sem Medo”.
É a pensar nesse Porto, sempre honrado e reivindicativo, justo e liberal, burgês e empreendedor, feito de gentes que preferem o “antes quebrar que torcer”, que Diogo Araújo Dantas se candidata pelo PPM.
Esta não é a cidade que procura negociar migalhas a Lisboa, esta é a cidade que construiu Portugal e que aceita Lisboa como sua capital, mas que não aceita perder a sua identidade Global.
O PPM não esgota a sua participação política apenas na questão de regime e carácter patriota, mas é também um partido que, desde a sua fundação, logo após o 25 de Abril, marcou a agenda em relação a questões que, na altura, eram entendidas como “menores”, mas que hoje são vistas como as essenciais para o progresso humano.
Somos um partido Ecologista e defensor das políticas de Património, Cultura e sustentabilidade económica e ambiental nas cidades.
Em breve iremos apresentar o nosso programa eleitoral que, espera-se seja debatido e analisado dentro de um quadro Democrático de ideias positivas que a Política Local – e Nacional – merecem.

Gonçalo da Câmara Pereira
Presidente do PPM – Partido Popular Monárquico