Notícias

  • Comunicado sobre Queixa à Provedoria de Justiça


    A candidatura do PPM à Câmara Municipal do Porto, na pessoa do seu cabeça de lista, fez uma queixa à Provedoria de Justiça relativa à inércia da Comissão Nacional de Eleições e Entidade Reguladora da Comunicação Social nas últimas eleições autárquicas para a Câmara Municipal do Porto.

    Durante os últimos meses mostramos, por dezenas de ocasiões, uma enorme desilusão pela profunda injustiça democrática, gigantesca desigualdade de tratamento pelos principais meios de comunicação social e consequente ignorância generalizada da existência da nossa candidatura.

    Os órgãos de supervisão das eleições fracassaram, a presidência da república e da assembleia da república fracassaram, os grupos parlamentares e municipais fracassaram, os principais meios de comunicação privados fracassaram, assim como os valores democráticos que são a base da nossa sociedade e do estado de direito.

    Alertamos para a urgente necessidade de uma alteração no regime republicano, através de uma reforma que deve ser tudo o que as eleições autárquicas no Porto não foram: plural, democrática e participativa. Nos próximos tempos iremos dar a conhecer as nossas propostas concretas e incentivaremos a participação dos cidadãos comuns, para além dos partidos, lobbies ideológicos e grupos de interesse económicos.

    Não esgotamos aqui a nossa revolta pelo que sucedeu nas autárquicas do Porto e iremos fazer novos procedimentos nos próximos tempos.

    Porto, 4 de Outubro de 2021


    Diogo Araújo Dantas

  • Recuperação do nosso comunicado de 16 de Agosto

    Passado um mês e dez dias, ninguém fez nada. Os outros candidatos assobiaram para o ar. As entidades reguladoras tiveram 40 dias para fazer alguma coisa. O que aconteceu durante estes 40 dias? Fomos sumariamente excluídos de outro debate (JN/TSF), segregados noutro (Porto Canal) e a imprensa mainstream continuou com a retórica dos “sete candidatos”. É evidente quem ganhou com isto, mas também quem perdeu: os portuenses.

    Comunicado da candidatura do PPM (Partido Popular Monárquico) à Câmara Municipal do Porto, sobre a nossa exclusão dos debates autárquicos da SIC e TVI – 16 de Agosto.

    Exmos Senhores,

    Quero protestar veementemente pelos canais generalistas privados, SIC e TVI, selecionarem os candidatos que vão a debate na Câmara Municipal do Porto, onde sou candidato pelo PPM, um dos partidos fundadores da Democracia. Numa notícia do jornal Expresso, a SIC diz que opta por “cruzar a representação autárquica com a representação parlamentar, o que redunda em sete candidatos”. Vergonhoso, incoerente e antidemocrático. Já a TVI fala de “encontrar uma forma de estarem representadas as principais candidaturas”. Autocrático, censurador, arbitrário.

    Evidentemente, querem fazer os portuenses de burros, impondo regras que não fazem sentido. Se a SIC quer ter o critério da “representação autárquica” terá cinco partidos e um movimento dito “independente” e na representação parlamentar terá seis partidos. Que relação existe entre eleições nacionais e locais? Como é que um grupo de cidadãos, que se arroga de estar à margem dos partidos, se encaixa na representação parlamentar? E quem é o diretor de informação da TVI para decidir quem são as “principais candidaturas”?

    As pessoas costumam dizer que a nossa democracia é imperfeita, entre um encolher de ombros e o intervalo da novela ou do futebol. Nos últimos tempos, tenho chegado à conclusão que é mais do que isso: é viciosa, corrompida, desmoralizada, inerte.Por razões que são demasiado fúteis para eu compreender, a mesma população que sofre, paga impostos pornográficos e é espezinhada, só considera credível e sérios os políticos que aparecem na imprensa mainstream e nos jornais de hoje – que são pouco mais do que peças de opinião sob o escudo ditatorial do “critério editorial”. Quem não aparece nessa comunicação social não existe, não faz parte da democracia, são “gente que só quer é tacho” e “devia mas é ir trabalhar”.

    Pois bem, neste caso falo por mim. Sou candidato à Câmara do Porto, tenho um programa sólido e coerente, não quero “tacho”, nunca vivi uma vida confortável, trabalho muito e assim continuarei a fazer depois de Setembro, não me candidatei a Presidente da Câmara para ter poder, mas por dever de cidadania, numa altura desesperante em que a cidade está em escombros. Leio e vejo as entrevistas aos candidatos que vão a debate: as suas ideias e propostas de programa parecem vir de umas eleições para a associação de estudantes do ensino secundário. Pesquiso o programa de outros anos e a pobreza é estupidificante: traduz, não só a sua própria incompetência, mas também que os partidos já nem se preocupam em elaborar programas. Sabem que para ganhar votos e eleições, basta um ou dois chavões repetidos num jornal de maior audiência.

    Se chegamos a este ponto, ao nível das democracias dos países subdesenvolvidos, os culpados são fáceis de apontar: o Estado, a quem interessa que o poder seja repartido pelos mesmos, que não legisla nem supervisiona eficazmente sobre se a permissiva lei atual é cumprida; os partidos grandes, que querem manter o status quo, e os pequenos, que estão à espera que caiam migalhas da mesa do banquete; a comunicação social amante do circo político, regida por interesses a quem não interessa que um programa moderno e revolucionário seja lido ou ouvido; os órgãos de supervisão das eleições, que não assumem o seu dever de garantir a imparcialidade da comunicação social.

    Não interessa ao poder estabelecido que as pessoas pensem, reflitam, sejam educadas para ler um texto “grande” como este que agora escrevo e tenham um pensamento crítico racional. Interessa ao poder que as pessoas obedeçam, sejam gado de abate e que os nossos impostos e os grandes grupos económicos continuem a financiar o seu festim. No final, a grande maioria de nós, o povo fica calado e vota por emoção ou clubismo. E tudo fica na mesma.

    Pois bem, hoje não fica tudo na mesma. Foi do Porto que partiram os Cruzados que ajudaram o Rei Dom Afonso Henriques a conquistar Lisbboa aos Mouros. Foi no Porto, em 1958, que o General Humberto Delgado sentiu o que é um povo “Sem Medo”. Os portuenses sempre foram honrados e reivindicativos, justos e liberais, empreendedores e corajosos. Desta terra, há demasiado tempo esquecida e menosprezada, lançamos o nossos grito de revolta contra esta prepotência sulista e elitista. O Porto merece respeito. O PPM merece respeito. Exigimos justiça!

    Segue para a CNE e ERC.

    16 de Agosto de 2021

    Diogo Araújo Dantas
    Candidato à Câmara Municipal do Porto pelo PPM

  • Comunicado da Noite de Campanha

    Os principais perdedores destas eleições são os órgãos que fiscalizam as eleições, a CNE e a ERC, assim como o Presidente do regime e a Assembleia do regime.

    Portugal está num processo profundo de regressão democrática. A abstenção é um dos sintomas desta catástrofe.

    Aparentemente haverá entre 0 e 1% aos quatro partidos fora dos “sete candidatos” da comunicação social. Além da comunicação social, que relativamente ao Porto andou a pregar que só haveria sete candidatos, também as empresas de sondagens têm de ser investigadas.

    Lembro que houve sondagens que deram 59% a Rui Moreira.

    Agradeço a todos os que votaram no PPM.
    A vossa confiança é extraordinária. Apesar de tudo o que aconteceu nestas eleições.

    Relativamente aos novos partidos: tentaram mudar a política mas foi a política que os mudou.

    Amanhã começa a luta por um regime mais democrático, transparente, participativo e justo.

  • Compacto do debate no Porto Canal

  • Resumo da Campanha em Imagens

    Terminando a campanha eleitoral para a Câmara Municipal do Porto, fica aqui um vídeo com um resumo das imagens, notícias e programa apresentado.

  • Programa para o último dia

    Visita pessoal do candidato a uma das Igrejas da cidade do Porto, em memória do aniversário de falecimento de Dom Pedro IV (24 de Setembro de 1834)

    Como é um momento de recoleção pessoal do candidato, não será indicada a hora nem o local.

    Tal como com no tempo de Dom Pedro IV, também os portuenses enfrentam um cerco hoje, de homens que tentam destruir o Porto e o nosso modo de vida. Saibamos enfrentá-lo com a mesma coragem e determinação.

  • E o debate do JN realizou-se

    O Jornal de Notícias diz na notícia a acompanhar o debate que aconteceu hoje com seis candidatos, que foram “os candidatos” a discutirem o Porto.

    O PPM protestou vigorosamente contra este debate por ir contra as regras do Estado de Direito e os princípios da democracia que ajudámos a fundar.

    O PPM escreveu repetidamente à CNE, ERC, Presidente da República e Assembleia da República.

    O PPM enviou um e-mail aos candidatos à Câmara Municipal do Porto, apelando à sua não participação, em nome dos valores públicos e democráticos que eles juraram obedecer, em nome dos cidadãos.

    Ninguém nos quis ouvir.

    Não, não foram “os candidatos” ao debate do JN.

    Tal como no debate da SIC e da TVI, foram ao debate de hoje do JN os representantes dos donos disto tudo.

    Espero que no Domingo os portuenses não sejam ovelhas, gado para o matadouro e abram os olhos!

    No dia 26 é preciso o Porto derrotar os amiguismos, as elites que nos olham com altivez e falam com desprezo do nosso modo de vida.

    No dia 26 vamos acabar com este regabofe.

  • Suspensão de atividades

    As atividades da campanha eleitoral estão suspensas por morte de um familiar do cabeça de lista à Câmara Municipal do Porto pelo PPM.

    Serão retomadas na Quinta-feira.

  • Comunicado da Candidatura

    Comunicado importante da candidatura do PPM sobre as eleições de 26 de Setembro.

    Foram colocados de fora os pormenores para respeitar o Estado de Direito e as decisões que ainda não foram tomadas. Porque no pormenor é que se vê a profunda incongruência de critérios e argumentação falaciosa para nos colocar de fora. A seu tempo falaremos sobre tudo.

  • Programa de Campanha do PPM para a Câmara Municipal do Porto (18 a 23)

    Sábado, 18 de Setembro
    Ações de rua
    14h Marquês
    16h Parque Covelo

    Domingo, 19 de Setembro
    Ações de rua
    14h Parque da Cidade
    16h Foz

    Segunda-feira, 20 de Setembro
    10h Bonfim
    Ação de Rua
    Declaração do candidato sobre problemas sociais do Porto e resoluções

    Terça-feira, 21 de Setembro
    15h Campanhã
    Ação de rua
    Declaração do candidato sobre problemas de segurança do Porto e resoluções

    Quarta-feira, 22 de Setembro
    11h00
    Reunião na FAP – Federação Académica do Porto

    16h00
    Praia do Ourigo
    Declaração do candidato sobre problemas ambientais do Porto e resoluções.

    Quinta-feira, 23 de Setembro
    12h30
    Debate no Porto Canal

    16h00
    Lordelo do Ouro
    Ação de rua

  • Visita à Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto

    Hoje estivemos numa das associações mais carismáticas da cidade: Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto.

    Uma honra para nós estar num edifício com tanta História e um património cultural inestimável.

  • Ações de Campanha

    -16 de Setembro
    15 horas
    Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto
    À saida, declaração do candidato sobre o património intelectual do Porto e o estado da comunicação social.

    – 17 de Setembro
    9h30
    Rotunda da Boavista
    Contacto com a população.
    Declarações sobre preocupação ambiental
    da conservação do monumento e jardim envolvente na rotunda da Boavista, perante a construção da linha rosa do Metro do Porto.

    14h30
    Debate JN
    Já há bastante tempo que havia um debate marcado com todos os candidatos. Recentemente, o JN cancelou e separou em dois grupos, impedindo o PPM de confrontar o Presidente da Câmara. Depois, cancelou o nosso debate. Esta vergonha acontece na República Portuguesa.

    – sábado, 18 de Setembro
    14h Marquês
    16h Parque Covelo

    – domingo, 19 de Setembro
    14h Parque da Cidade
    16h Foz

  • Notícia JN
  • Debate de RTP

    No debate de ontem, com o pouco tempo que tive, contra dez políticos com um staff de comunicação e muitos deles extremamente poderosos, lutei o máximo que consegui. Não foi fácil, por vezes tive que ser duro.

    Mas este não é um caminho para fracos, além de que a força da convicção e da alma que coloquei, pode ser o princípio de uma pequena mudança na cidade e no país. De pequena mudança em pequena mudança, viveremos num país melhor, mais justo, mais solidário e menos corrupto.

  • Debate na RTP

    Terça-feira, dia 14 de Setembro às 22 horas

    Simultâneo RTP1 e RTP3 por 2 horas.

    Debate Câmara do Porto no Palácio da Bolsa.

    Conto com o vosso apoio. Estamos juntos!

  • Visitas às Entidades Portuenses

    Durante esta pré-campanha estivemos em muitas associações culturais, desportivas, económicas, profissionais e educativas. No site oficial ou na página do Facebook haverá uma cobertura mais completa.

    Ajudaris, Santa Casa da Misericórdia do Porto, APPCDM, Associação dos Comerciantes do Porto, Ordem dos Nutricionistas, Associação de Solidariedade da Zona das Fontainhas, Polícia Judiciária, Polícia de Segurança Pública, Associação das Pequenas e Médias Empresas, Ordem dos Enfermeiros, Federação Académica do Porto, Reitoria da Universidade do Porto, Teatro Napalm, Futebol Clube do Porto e Boavista Futebol Clube. Na próxima semana estaremos no Teatro Rivoli, Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto e Ordem dos Arquitectos.

    Evidentemente, a comunicação social passou sempre ao lado destas visitas. Mas cada uma das pessoas que nos receberam e connosco trocaram ideias, ficaram no nosso coração.

    É desta gente, a maior parte anónima, de que faz parte o nosso Porto, a nossa identidade, juntamente com os valores superiores da solidariedade, humanidade, altruísmo e justiça social.

    O nosso agradecimento pessoal,
    Diogo Araújo Dantas

  • Comunicado do PPM Porto sobre Queixa às Instituições Internacionais sobre o Défice Democrático em Portugal

    Os candidatos à Câmara Municipal do Porto são sete, segundo a SIC e a TVI. Foi este o marketing que tentaram impingir repetidamente. Evidentemente, para nós é uma forma do regime esconder a única oposição democrática que existe em Portugal. A única oposição que se coloca contra quem se serve da cidade e do país, em vez de serem funcionários públicos ao serviço dos cidadãos.

    Neste preciso momento há sete candidatos a “debater” na TVI, os donos disto tudo a falar entre si e segundo os interesses das elites que representam 1% dos cidadãos.

    Dizem-nos que a TVI24 quis refugiar-se no art.º 7.º da Lei n.º 72-A/2015, de 23 de julho. O que ignora é que nas últimas eleições o PPM e o PSD foram coligados, portanto relativamente às últimas eleições autárquicas. O que a TVI24 também não quis saber é que o PPM tem representação nacional parlamentar, nomeadamente nos Açores. TERIAMOS O DIREITO a estar neste debate da TVI24, assim como no da SIC, assim como nas entrevistas do JORNAL PÚBLICO, da TSF, do JN e dos órgãos de comunicação social.

    Como se tem visto, estes representantes das elites do regime estão confortáveis no debate com o círculo do poder, governantes do país e responsáveis pela falência democrática, institucional, económica e social do Porto e do país. Somos governados localmente e globalmente por um grupo de medíocres que se elogiam entre si. É do interesse destes que tudo continue como está.

    Convido vossas excelências a ouvirem os cerca de cinco minutos que o candidato Diogo Araújo Dantas conseguiu falar no debate da Antena 1, no debate, apesar de furiosamente cortado nos temas essenciais pela moderadora.

    Nao vou acreditar novamente que as autoridades solucionarão em tempo útil este problema. Deixei de confiar na CNE, na ERC e na Assembleia do Regime. Este problema passará para as autoridades europeias, que terão de solucionar um défice democrático gravíssimo num Estado-Membro.

    Com os melhores cumprimentos
    Diogo Araújo Dantas
    Coordenador Distrital do PPM
    Mandatário Local do PPM
    Candidato do PPM à Câmara Municipal do Porto

  • Participação no debate da Antena 1

    Aqui fica a participação de Diogo Araújo Dantas no debate da Antena 1, sendo que pode escolher ver no Facebook ou YouTube. Pouco tempo, mas de qualidade.

  • Debate na Antena 1

    Foi hoje o debate na Antena 1 com todos os candidatos, entre eles Diogo Araújo Dantas, do Partido Popular Monárquico.

    Ficou claro desde o início que só há um candidato diferente, capaz de levar o Porto a um bom destino e com um programa forte.

    Diogo Araújo Dantas criticou várias vezes o atual presidente da câmara, desde a falta de sensibilidade social à questão da defesa do património, por um destino “republicano e Anti-Monárquico” de Rui Moreira.

    As propostas para a habitação, que dominaram o debate, foram precisas e pragmáticas, ao contrário das dos restantes candidatos. Ficaram por falar temas de grande importância, mas Diogo Araújo Dantas ainda conseguiu falar do Ambiente, um assunto recorrente do PPM.

    Em baixo, pode ouvir o debate.

  • Oligarquia

    Os candidatos à Câmara Municipal do Porto tinham um debate do JN marcado para o dia 20 de Setembro. Seria uma forma do melhor projeto para o Porto e a voz dos cidadãos questionar e responsabilizar o atual executivo pela sua atuação no último mandato.

    Acabei de receber um e-mail do JN a anular o dito debate, fazendo uma segregação inconcebível com dois grupos de candidaturas. Afinal, entre “os donos disto tudo”, que falariam sozinho e “os outros”.

    Provavelmente, o JN estará a tentar refugiar-se no art.º 7.º da Lei n.º 72-A/2015, de 23 de julho. O que o JN ignora é que nas últimas eleições o PPM e o PSD foram coligados, portanto relativamente às últimas eleições, TEMOS O DIREITO de estar no primeiro grupo.

    Como se viu no debate da SIC, Rui Moreira está confortável no debate com o círculo do poder, governante do país e responsável pela falência democrática, institucional, económica e social do Porto e do país.

    Somos governados localmente e globalmente por um grupo de medíocres que se elogiam entre si. É do interesse destes que tudo continue como está.

    Esperemos que a população portuense esteja atenta a estas manobras e saiba responder no dia 26 de Setembro a estas tentativas de condicionar o seu voto.

%d blogueiros gostam disto: